CÂNCER DE VIAS BILIARES

O que é?

Os tumores das vias biliares são raros e correspondem a 3% de todos os tumores do trato gastrointestinal. Englobam as neoplasias com origem nas vias biliares e são divididos, de acordo com a localização, em colangiocarcinomas intra hepáticos (dentro do fígado) e extra hepáticos (fora do fígado) , da vesícula biliar e da ampola de Vater.

O tipo histológico mais frequente é o adenocarcinoma (>90% dos casos) e apresenta um pico de incidência entre 60 e 70 anos .

Sinais e sintomas

Geralmente são inespecíficos e estão relacionados à obstrução dos ductos biliares pelo tumor. Inicialmente, a doença evolui sem causar sintomas, o que dificulta o diagnóstico precoce. Dentre os mais frequentes, podemos citar:

  • Dor abdominal
  • Perda de peso
  • Anorexia (falta de apetite)
  • Náuseas e vômitos
  • Massa abdominal palpável em hipocôndrio direito
  • Icterícia (coloração amarelada da pele e mucosas)
  • Prurido (coceira)
  • Distensão abdominal
  • Febre

Causas (fatores predisponentes)

Dentre os principais fatores de risco para o câncer de vias biliares/ vesícula biliar podemos citar:

  • Cálculos biliares (colelitíase e hepatolitiase)
  • Pólipos na vesícula biliar
  • Tabagismo
  • Colangite esclerosante primária (doença inflamatória das vias biliares)
  • Cistos de colédoco
  • Síndrome metabólica (obesidade)
  • Exposição a nitrosaminas, asbestos, azatolueno, dioxina
  • Infecção por parasitas comoClonorchissinensis e Opisthorchisviverrini

Diagnóstico

A maior parte dos tumores das vias biliares é diagnosticado em fase avançada, quando surgem os sintomas. A partir da suspeita clinica são solicitados exames de imagem (Tomografia/ Ressonância do abdome/ colangiorressonância ) que permitem a visualização da lesão suspeita e estadiamento da doença. A biopsia confirmatória é essencial para o diagnóstico definitivo.

Tratamento

O tratamento se baseia no estadiamento da doença onde são levados em consideração o tamanho do tumor, o acometimento dos linfonodos , presença de metástases a distância além das condições clinicas do paciente.

A cirurgia constitui a principal modalidade de tratamento, com intuito curativo, quando a doença é considerada localizada e ressecável. Em caso de doença irressecável cirurgicamente, pode ser discutida a necessidade de algum procedimento cirúrgico paliativo para desobstrução das vias biliares. A quimioterapia pode ser indicada para complementar o tratamento cirúrgico ou com intuito paliativo. Dependendo das condições de saúde do paciente, muitas vezes a melhor alternativa é o suporte clinico exclusivo/ cuidados paliativos.

Texto: Dr Israel Vilaça
Revisão: Dr Alexandre Fonseca