CÂNCER DE RIM

O que é?

O câncer de rim representa 2-3% das neoplasias malignas do adulto. No Brasil, estima-se uma incidência de aproximadamente 4200 casos novos/ano, sendo 2 vezes mais frequente nos homens que nas mulheres na faixa etária de 50 a 70 anos de idade.

A maioria dos tumores renais são diagnosticados em fase inicial, quando ainda estão confinados ao rim, o que aumenta as possibilidades de cura. Cerca de 20% são localmente avançados (acomete linfonodos – gânglios regionais próximos ao rim) e 25% apresentam metástases para outros órgãos, principalmente para os pulmões, fígado e ossos.

O tipo histológico mais frequente é o carcinoma de células claras (85%).

Sinais e sintomas

A maioria dos pacientes não apresentam sintomas ao diagnóstico. Apenas 5% manifestam os sintomas clássicos (tríade) que incluem:

  • Hematúria (presença de sangue na urina)
  • Dor em flanco
  • Massa abdominal palpável

Outros sintomas inespecíficos podem ocorrer: febre, dispnéia (falta de ar), emagrecimento, dores ósseas.

Causas (fatores predisponentes)

São conhecidos alguns fatores de risco para o câncer renal, dentre eles podemos citar:

  • Tabagismo
  • Obesidade
  • Hipertensão arterial
  • História familiar
  • Síndromes clínicas (predisposição genética) – Doença de Von Hippel-Lindau ,BirtHogg- Dubé, Leiomiomatosefamiliari
  • Doença renal cística adquirida – diálise
  • Uso prolongado de analgésicos não esteróides
  • Exposição ocupacional a agentes como asbestos, cádmio e derivados do petróleo

Prevenção

Embora não se saiba exatamente a origem (principal causa) do câncer renal, algumas medidas preventivas são recomendadas: interrupção do tabagismo, controle pressórico, dieta saudável, atividade física regular e controle do peso (prevenção da obesidade).

Diagnóstico

O diagnóstico presuntivo do câncer renal é realizado através de exames de imagem como ultrassonografia abdominal, tomografia computadorizada ou ressonância nuclear magnética após suspeita clínica. Em algumas situações, uma lesão expansiva renal pode ser um achado ocasional de um exame de imagem, o que leva a uma investigação mais profunda do diagnóstico. O diagnóstico histológico definitivo ocorre após a abordagem cirúrgica da lesão.

Tratamento

A cirurgia é a modalidade de tratamento curativo de escolha para o câncer de rim. O planejamento do tratamento depende das condições clinicas do paciente (performance status) do tamanho da lesão, da extensão da doença (estadiamento), do tipo histológico e de alguns critérios prognósticos. Dentre as opções de tratamento para a doença restrita ao rim, temos a nefrectomia parcial (aberta ou laparoscópica), a nefrectomia total ou ainda terapias ablativas focais em algumas situações.

Nos pacientes que se apresentam com a doença em estágio avançado, o tratamento sistêmico constitui a melhor abordagem. Dentre o armamentário terapêutico estão por exemplo as drogas inibidoras da tirosina quinase, as drogas que atuam na inibição da angiogênese, inibidores da mTOR e imunoterapia. A melhor opção deve ser avaliada e discutida com o médico específico.

Texto: Dr Israel Gonçalves Vilaça
Revisão: Dr Alexandre Fonseca