CÂNCER DE ESTÔMAGO

O que é?

O câncer é o aparecimento de um conglomerado de células malignas que, com o passar do tempo, resultam no aparecimento e desenvolvimento de um tumor. Quando o processo é iniciado na mucosa gástrica o tumor resultante é o câncer de estômago.

Sinais e sintomas

Os sinais e sintomas mais frequentes são também muito inespecíficos: perda de peso e dor abdominal. Outras manifestações menos comuns são: dificuldades para engolir, má digestão, vômitos após as refeições, fezes escuras e massa palpável no abdome. Vale lembrar que o câncer gástrico, nos seus estágios mais iniciais e passíveis de tratamento curativo, é uma doença de modo geral silenciosa.

Causas (fatores predisponentes)

São fatores de risco comprovadamente relacionados a um aumento de risco de câncer de estômago: Dieta rica em sal e alimentos conservados em sal, baixo consumo de frutas, vegetais e fibras, dieta rica em nitritos, obesidade, tabagismo, gastrite crônica atrófica relacionada à infecção pela bactéria Helicobacterpylori, predisposição genética.

Prevenção

Prática regular de atividades físicas e combate à obesidade, dieta rica em frutas, verduras, legumes e fibras, consumo moderado de sal e alimentos defumados, combate ao tabagismo e tratamento da gastrite crônica causada pelo H. pylori.

Diagnóstico

O maior desafio é fazer o diagnóstico precoce, onde a doença ainda seja passível de tratamento curativo. Métodos de rastreamento populacional tem se mostrado eficazes em países onde a incidência da doença é alta, como o Japão.

No nosso, os exames para diagnóstico são realizados caso haja o surgimento de sintomas sugestivos da doença. O teste diagnóstico mais útil e importante é a endoscopia digestiva alta, que permite além da identificação da lesão neoplásica na mucosa gástrica, a coleta de material para o diagnóstico histológico.

Tratamento

Antes de qualquer tratamento, o paciente será submetido a uma série de exames chamados de exames de estadiamento, onde será avaliada a extensão da doença. Esta avaliação é fundamental para uma melhor análise das condições de saúde e da melhor abordagem terapêutica para o paciente em questão.

Caso a doença esteja restrita ao estômago e o paciente tenha boas condições gerais de saúde, o tratamento preconizado é chamado de gastrectomia, onde, de maneira simplificada, será realizada a retirada cirúrgica parcial ou total do estômago doente. A cirurgia associada é o pilar do tratamento do câncer de estômago localizado e as outras modalidades terapêuticas (como por exemplo a quimioterapia e a radioterapia) serão avaliadas caso a caso, dependendo da extensão do comprometimento gástrico pelo tumor e das condições clínicas do paciente.

Nos casos mais avançados, onde a doença compromete outros órgão além do estômago, a terapia sistêmica é a base do tratamento, sendo a cirurgia e a radioterapia indicadas conforme a necessidade individual. A terapia sistêmica consiste no uso intravenoso de quimioterapia e/ ou drogas alvo.

Redação: Felipe Reis