FAQ – PERGUNTAS FREQUENTES

Tire suas dúvidas consultando as perguntas frequentes ou envie sua dúvida no formulário abaixo:

Quais são os tipos mais comuns de câncer nas mulheres?

Na população feminina os tumores malignos mais prevalentes, no ano de 2012 foram o de pele não melanoma, mama, pulmão, glândula tireoide e colo uterino.

Alguns hábitos aumentam as chances de ter a doença?

Sim. Sabemos hoje que a maioria dos tumores malignos está relacionada à exposição a fatores ambientais. Sendo assim, o hábito de fumar, a ingestão excessiva de bebidas alcoólicas, uma alimentação inadequada , a exposição solar excessiva, o sexo desprotegido e infecção por vírus do HPV, entre outros, são fatores de risco para o desenvolvimento da doença.

É só um problema genético e hereditário?

Não. Como dito antes, os fatores ambientais são muito importantes no desenvolvimento da doença. Estima-se que somente 5 a 10% de todos os tumores são considerados hereditários.

Dá para prevenir?

Vários hábitos de vida podem diminuir a chance de desenvolvimento do câncer. Pare de fumar, evite a ingestão de bebidas alcoólicas em excesso, evite a exposição solar excessiva, pratique sexo seguro, alimente-se de forma saudável, valorizando a ingestão de frutas, legumes e com alimentos com menor teor de gorduras saturadas. Siga as orientações do seu médico.

Quais são os tratamentos mais comuns?

Várias modalidades podem ser utilizadas no tratamento oncológico. Entre elas destacam-se a cirurgia, a radioterapia, a quimioterapia venosa ou oral, a hormonioterapia, a utilização de drogas alvo moleculares e medicamentos de ação imunológica.

Câncer tem cura?

Na fase inicial, o câncer é curável na maioria dos casos . Se o tumor é descoberto em uma fase mais avançada as chances de cura reduzem progressivamente.

A doença pode voltar?

As chances de recidiva do tumor dependem de vários fatores como o estágio inicial, o tratamento instituído e das condições clinicas do paciente. Desta forma, é recomendado o seguimento oncológico adequado para cada situação. Pergunte ao seu médico.

Quais exames podem diagnosticar a doença numa fase mais precoce?

A detecção precoce do câncer implica no diagnóstico da doença em seu estágio inicial ou em sua fase pré-clínica, ou seja, antes da manifestação dos sintomas. Alguns exames chamados de rastreamento tem esse papel, e ente eles podemos assinalar o Papanicolau para o câncer de colo uterino, a mamografia para o câncer de mama, e a pesquisa de sangue oculto nas fezes associado à exame da mucosa intestinal (colonoscopia ou retossigmoidoscopia) para o câncer de cólon.

Câncer é tudo igual?

Cada tipo de tumor tem sua evolução, método de tratamento e chances de cura diferentes. E isso varia também de acordo com o organismo de cada paciente.

O câncer é contagioso?

Não. Mesmo os cânceres causados por vírus não são contagiosos como um resfriado, ou seja, não passam de uma pessoa para a outra por contágio. No entanto, alguns vírus oncogênicos, isto é, capazes de produzir câncer, podem ser transmitidos através do contato sexual, de transfusões de sangue ou de seringas contaminadas utilizadas para injetar drogas. Como exemplos de vírus carcinogênicos, tem-se o vírus da hepatite B (câncer de fígado) e vírus HTLV – I / Human T-lymphotropic virus type I (leucemia e linfoma de célula T do adulto).

Todo tumor é câncer?

Não. Nem todo tumor é câncer. A palavra tumor corresponde ao aumento de volume observado numa parte qualquer do corpo. Quando o tumor se dá por crescimento do número de células, ele é chamado neoplasia – que pode ser benigna ou maligna. Ao contrário do câncer, que é neoplasia maligna, as neoplasias benignas têm seu crescimento de forma organizada, em geral lento, e apresenta limites bem nítidos. Elas tampouco invadem os tecidos vizinhos ou desenvolvem metástases. O lipoma e o mioma são exemplos de tumores benignos.